Ao desmaiar, o que fazer?

Publicado 04/07/2012
O desmaio ou perda da consciência é um motivo frequente de procura ao pronto socorro. Nesse caso, a avaliação médica é fundamental para definir a causa do desmaio. As possibilidades são diversas e variam entre causas benignas até problemas sérios de saúde. Na grande maioria das vezes, as causas são metabólicas (exemplo: hipoglicemia), neurológicas (exemplo: convulsão) e cardiovasculares. Os problemas cardiovasculares que se apresentam com desmaio para o médico, são interpretadas como síncope, que é definida pela perda transitória da consciência devido ao baixo fluxo de sangue para o cérebro. Diversas causas podem diminuir a quantidade de sangue que chega ao cérebro e a determinação da causa é fundamental para a tomada de decisão.

Na maioria das vezes, as síncopes são benignas, ou seja, são possivelmente ocasionadas pela queda da pressão arterial transitória por causa vascular, sem que haja problemas cardíacos. Algumas dessas condições benignas favorecem a dilatação dos vasos, ou a não contração deles quando deveriam. Neste caso, a queda da pressão ocorre a ponto do sangue não chegar ao cérebro em quantidade necessária para garantir a vigília e ocorre o desmaio. Traumas pelo corpo em consequência da queda sao implicações indiretas possíveis.

Entretanto há situações mais preocupantes no contexto das síncopes, em que a causa é a maior preocupação. Quando há evidência que o baixo fluxo de sangue para o cérebro foi ocasionado por um problema cardíaco - houve alguma falha nos batimentos do coração que impossibilitou o sangue chegar ao cérebro na sua quantidade adequada - devemos tomar condutas de maior proteção ao paciente e na grande maioria das vezes há indicação de internação para diagnóstico definitivo e conduta adequada. São causas de síncope de origem cardiológica as seguintes, taquiarritmias ( arritmias em que a frequência do coração está elevada ), bradiarritmias ( arritmias em que a frequência do coração está baixa ), problemas nas válvulas do coração, principalmente a estenose da valva aórtica ( obstrução da valva aórtica ) e infarto.

Portanto, o desmaio deve ser avaliado por um médico capacitado que contemple todos os aspectos que envolvem o conhecimento da síncope, sempre com o objetivo de diferenciar as possíveis causas. Para isso, a pessoa deve ser ouvida, examinada e submetida a exames complementares simples na avaliação inicial. A medida da glicemia e principalmente o eletrocardiograma são obrigatórios. Caso apresente um desmaio, não deixe de procurar um serviço de saúde para essa avaliação.

COMENTÁRIOS FACEBOOK:

História do Prêmio Nobel Publicado 10/12/2012
10 dicas para um sono melhor Publicado 16/08/2012
Remédios para dormir fazem mal? Publicado 05/08/2012
Exercite-se e ganhe saúde! Publicado 21/07/2012
Falta de ar. O que fazer? Publicado 16/07/2012
O que é hipertensão arterial? Publicado 20/06/2012
Dor no peito no Pronto Socorro Publicado 20/06/2012